quinta-feira, 25 de setembro de 2008

BAHIA: MORTES DE PMs CONTINUAM SEM SOLUÇÃO.

Mortes de PMs continuam sem solução


Depois de 27 assassinatos de políciais militares na capital esse ano, sendo cinco apenas no mês de setembro, a Secretaria de Segurança Pública implantou um núcleo especial para investigar preferencialmente as mortes dos agentes. Esse núcleo está funcionando na Delegacia de Homicídio, mas conforme os agentes especializados para as apurações dos crimes, nenhuma informação pode ser passada para a imprensa até que os acusados sejam presos.

Com dez dias de inaugurada, nenhum acusado pelas execuções dos agentes foi identificado ou detido. Mas sabe-se que a maioria dos autores é traficante de drogas e assaltante. O secretário de Segurança Pública, César Nunes, prometeu uma maior agilidade nas investigações para elucidar os crimes.

Na maioria dos casos, os policiais estavam de folga e foram executados sem chance de defesa. Para a associação que congrega os praças da corporação, a criação do grupo especial para apurar as mortes dos militares é importante, mas é preciso que medidas enérgicas sejam tomadas para evitar novas mortes.

As famílias dos soldados assassinados pedem justiça e proteção. Eles continuam morando nos mesmos lugares, com rara exceção, e temem por suas vidas, pois são ameaçados pelos matadores.

Ontem, no Cemitério do Campo Santo, durante o sepultamento do soldado Romilton Nunes, o clima era de emoção, dor e revolta. Centenas de policiais deram o último adeus ao colega da Rondesp e prometeram se empenhar para encontrar o autor de mais este crime contra um membro da corporação.


Só este mês foram 5 mortos


Ontem, por pouco, mais dois policiais não entram nas estatísticas dos mortos. Uma viatura da Polícia Civil foi metralhada num local conhecido como Brongo, no IAPI. Os agentes policiais Aderbal Fernandes Cerqueira, do DCCP, e Antonio Bastos Assis, da 2ª DP, foram baleados de raspão.

A última vítima da violência contra policiais foi o soldado Romilton Nunes, lotado na Rondesp, morto com três tiros no rosto no começo da noite de terça-feira, em uma lanchonete na Avenida Vasco da Gama.

No dia 13 de setembro de 2008, por volta de 1 hora da manhã, o PM Gilberto Alves da Silva foi morto no bairro de São Caetano, por dois indivíduos não identificados, logo depois de sair de um bar onde bebia com amigos. Gilberto estava fora da corporação há um ano, após abandonar a companhia na qual trabalhava e respondia a processo administrativo. Testemunhas afirmaram que ele foi morto por ter postura de policial militar.

No mesmo dia 13 de setembro de 2008, as 16 horas o soldado Evandro Santos Britto, 33 anos, se preparava para ir ao trabalho e esperava a esposa na porta de casa. Cerca de 12 homens desceram de três carros e alvejaram o militar com dois tiros na cabeça. Em seguida, desfiguraram o rosto dele com mais tiros e soltaram fogos em comemoração.

No dia 11 de setembro de 2008, o alvo dos bandidos foi o sargento José Jorge de Arruda que foi surpreendido por quatro homens armados com pistolas P. 40, 45 e 9 mm, por volta de 10h20 na rua Henriqueta Catarino, no engenho Velho da Federação. O policial estava à paisana e os bandidos chegaram em um Gol e fugiram em seguida depois do crime.

10 de setembro de 2008, o sargento Teófilo Santos Matos foi morto pouco depois de ter sido reconhecido por assaltantes, em um Mercadinho, no bairro da Engomadeira.

Também no dia 12 de agosto de 2008, um assalto ao micro-ônibus da empresa São Cristóvão acabou com a morte do sargento João Batista da Cruz Pontes, na ladeira dos Bandeirantes, em Matatu de Brotas. Mesmo sem farda, a vítima foi reconhecida por um dos assaltantes, já preso pelo GrupoA? de Repressão a Roubos em Coletivos (Gerrc).

14 de julho, o sargento Wilson Carlos Oliveira França, 49 anos, estava desarmado e à paisana quando foi morto com três tiros no município de Feira de Santana, ao tentar fugir de um assalto.

03 de julho, Lotado na 1ª CIPM, o soldado Erivã da Silva, foi assassinado com seis tiros na rua Boa Paz, Beco do Peba, no bairro Sete de Abril. A mulher dele, Débora Braga dos Santos, presenciou o crime e informou que na hora o PM estava mostrando um cômodo da casa em construção.

27 de junho, cinco homens armados encontraram o PM Reginaldo Pereira dos Santos, lotado no Batalhão da Polícia de Guarda, dentro do seu veículo, na avenida Aliomar Baleeiro, próximo à Brasilgás, na BR-324. Os bandidos pretendiam levar o carro de Reginaldo quando o identificaram como policial. A vitima foi atingida com tiros no rosto e na cabeça.

No dia 15 de junho, durante o retorno para casa, o sargento Gilvandro Almeida da Silva foi morto à tiros, no parque São Cristóvão. Ele dirigia um Fiat Uno quando foi abordado pelos assaltantes. Ao deitar no chão por ordem dos bandidos, o policial foi alvejado com tiros na nuca e no tórax.

13 de junho, o soldado Wilson Cunha dos Santos passava o final de semana com a noiva, em Simões Filho, quando foi surpreendido por três homens armados em um veículo Ibiza. Os bandidos tentavam tomar o veículo Vectra que o policial estacionava na garagem da noiva. Houve troca-de-tiros e um bandido também acabou morto.
Também no dia 11 de junho, traficantes da Boca do Rio armaram uma emboscada para o soldado da PM Marcelo de Jesus Barreto dos Santos. Ele foi morto na Rua da Maçonaria, no bairro Boca do Rio. Lotado na 23ª CIPM, Marcelo atuava no combate ao tráfico da localidade dominada pelo traficante conhecido como “Mamau”. O caso foi investigado pela 9ª Delegacia de Polícia.
Outra vítima em Junho, que não teve a data especificada pela Polícia Militar, foi o policial Ademir Bispo de Jesus, assassinado com cinco tiros por homens que assaltavam a churrascaria “Quem Diria”, na avenida Aliomar Baleeiro, no bairro Jardim Cajazeiras. Ele era lotado na 47ª CIPM, e estava de folga quando foi reconhecido pelos bandidos. (Por Silvana Blesa e Tatiana Ribeiro)


Soldado foi morto por traficantes por combater o tráfico de drogas


No mês de maio dia 31, o soldado que era lotado na 40ª CIPM, Edivaldo Sacramento estava de folga no bar Santo Antonio, de sua propriedade, na Federação, quando foi atingido com tiros de calibre P. 40, 9mm e .45. A esposa e a filha de 11 anos da vítima presenciaram o crime. De acordo com a Polícia Militar, o soldado estava sendo caçado pelos traficantes da Baixa da Égua por combater o comércio ilegal de drogas da localidade.
No dia 19 de maio, durante uma tentativa de assalto a uma casa lotérica, em Vitória da Conquista, o soldado Reginaldo Santos Dessa, foi morto a tiros por bandidos. Ele reagiu ao assalto e acabou baleado na cabeça.

Também no dia 16 de maio, José Raimundo Pinheiro, lotado em Itabuna, foi encontrado morto, com o corpo carbonizado, dentro de um veículo Hilux, no povoado de Prata, entre as cidades de Alagoinhas e Entre Rios. Familiares dele prestaram queixa do desaparecimento desde o dia 14 do mesmo mês.

Já no mês de maio, o policial militar Eutímio Sebastião Castro Oliveira, foi surpreendido por quatro homens em dois veículos e em seguida alvejado com tiros na cabeça, tórax e braço. O crime ocorreu próximo a revendedora de veículos Vicky, na Ladeira Cônego Pereira, no bairro Dois Leões.

No dia 16 de março, por volta de meio-dia, Cidarta Galtama Oliveira Freire Brito, lotado na 40ª CIPM, chegava em casa para almoçar, no bairro Vale das Pedrinhas, quando foi morto por 12 homens de identidade ignorada. Ele foi alvejado com mais de 40 tiros. Os bandidos fugiram sem levar nada do policial, que no momento do crime estava fardado. Um acusado foi preso pela 28ª Delegacia de Polícia, em Nordeste de Amaralina, mas não ficou provado ele participou da execução. (Por Hieros Vasconcelos)


PM morreu quando fazia segurança clandestina

No dia 22 de fevereiro, Evandro Silvio Filho fazia a segurança clandestina de um mercado na Rua da Glória, em Periperi, quando foi atingido por três homens que chegaram em um veículo Palio, cor prata já efetuando os disparos. A polícia suspeita que o agente morreu por ter evitando um assalto recente no estabelecimento.
Já no dia 21 de fevereiro, por volta de 01h35, o soldado Vicente Salustiano de Jesus foi morto em frente ao Parque Metropolitano de Pituaçu, logo após descer de uma topic que fazia transporte clandestino. A vítima voltava para casa após um dia de trabalho no Batalhão da Polícia de Guarda, em Lauro de Freitas. Três homens armados saíram de um Fiat Uno e mataram o policial e fugiram sem levar nada.
Enquanto que no dia 20 de janeiro, durante a ida ao trabalho, na 3ª CIPM, em Araci, o sargento José Souza Araújo foi morto a tiros numa tentativa de assalto ao coletivo em que viajava. Identificado pelos assaltantes, José foi alvejado com diversos tiros.
No dia 7 de janeiro, o sargento Joel Santos Lima fazia a segurança clandestina de um mercado no Lobato, quando dois bandidos entraram no estabelecimento para assaltar. Ao reagir, Joel foi atingido com tiros na cabeça.
Também no dia 01 de janeiro, o PM Jurandir Alves dos Santos foi alvejado com diversos tiros enquanto conduzia seu veículo, retornando para sua residência quando foi abordado por grupos de homens fortemente armados que disparam vários tiros no PM que morreu na hora.


Tribuna da Bahia
Por Silvana Blesa e Hieros vasconcelos

3 comentários:

  1. Vocês n tem respeito a dor de um familiar, colocam essas noticias da forma que quer, sem saber de nada... esses dados n estão corretos. Antes de sair por aí postando sobre a dor dos outros procurem se informar para n colocarem noticias distorcidas. É por esse motivo que o Brasil não vai para frente! e se esse arquivo continuar aí falando coisas que não sabem irem denuncia-lo para que saia do ar.

    ResponderExcluir
  2. Vocês n tem respeito a dor de um familiar, colocam essas noticias da forma que quer, sem saber de nada... esses dados n estão corretos. Antes de sair por aí postando sobre a dor dos outros procurem se informar para n colocarem noticias distorcidas. É por esse motivo que o Brasil não vai para frente! e se esse arquivo continuar aí falando coisas que não sabem irem denuncia-lo para que saia do ar.

    ResponderExcluir
  3. Vera Mattos e equipe3 de novembro de 2008 17:36

    Caro anônimo,
    faça a releitura da matéria e verá que foi publicada pelo conceituado jornal TRIBUNA DA BAHIA. Esta matéria encontra-se publicada em diversos sites.
    Se encontra algum erro deve dirigir-se a Tribuna da Bahia. Mas deverá quebrar seu anonimato e inclusive apresentar RG e CPF.
    Quanto a ameaça de denunciar este blog sem dúvidas somente temos a lamentar pois prestamos serviços e informações em áreas tão importantes como Direitos Humanos e Segurança Pública, entre outras.
    Nada temos contra policiais militares e sabemos que são vítimas da situação vigente.
    Por favor, quebre seu anonimato para podermos conversar de igual para igual.
    Cordialmente,
    Vera Mattos e equipe.

    ResponderExcluir

Você é livre para oferecer a sua opinião.