domingo, 21 de fevereiro de 2010

Ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto, dia 11 de março em Salvador.

Nessa fase preliminar, quando todos os pré-candidatos fingem que não estão em campanha e a justiça eleitoral finge que não vê, o foco tem sido o interior. Tanto o governador Jaques Wagner (PT) quanto e ex-governador Paulo Souto (DEM) e o ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) já percorreram vários quilômetros das estradas baianas com o objetivo de ter um contato mais amiúde com o eleitor.

Na verdade, a campanha de há muito já está nas ruas, e a luta entre os pré-candidatos já vem sendo travada em todos os campos. A briga passa também pela conquista do apoio de lideranças, espaço na mídia e até ações na Justiça Eleitoral para frear o jogo do adversário. É por isso que a oposição estadual foi ao Tribunal Regional Eleitoral para marcar posição contra a conotação eleitoral na publicidade do governador Jaques Wagner. Da mesma forma, o ministro Geddel Vieira Lima (PMDB) já foi acionado várias vezes pelos petistas por ser acusado de propaganda antecipada.

O governador Jaques Wagner há um bom tempo trabalha a sua reeleição e chega neste inicio de ano eleitoral com a campanha bem definida. O PT criou o Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) e já inicia no próximo dia 27 os debates com os partidos aliados em todo o estado, inclusive para articular a estratégia eleitoral no interior. As reuniões terão inpinício de março, acontecerão também os encontros regionais nas cidades de Jequié, Brumado, Vitória da Conquista e Itabuna.

Em todos os eventos o presidente estadual do PT, Jonas Paulo, e o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, coordenador do GTE, estarão presentes para discutir o momento político e a sucessão. Nos dias 12 e 13 de março acontece o Encontro Estadual de Prefeitos e vice-prefeitos do PT e a reunião do Diretório Estadual, quando o presidente Jonas Paulo tomará posse juntamente com os novos dirigentes da legenda.

A principal missão do GTE será discutir a formação da chapa proporcional da aliança governista, que dependerá das indicações dos partidos da base. Há uma grande expectativa para que o “chapão” seja aprovado, com um projeto para eleger entre 32 a 35 deputados estaduais. Mas muita discussão deve acontecer, porque nem todos os partidos que compõem a aliança governista vai participar do “chapão”.

Mesmo com muita especulação, pelos menos os nomes já estão na mesa para a formação da chapa majoritária: Jaques Wagner, Lídice da Mata, Walter Pinheiro, Waldir Pires, Otto Alencar, Marcelo Nilo e César Borges. Desta relação é quase certo que saia os nomes que irão compor a chapa governista. A maior dúvida são as duas vagas ao Senado, onde é aguardada a posição de Borges para ser definida a escalação do time. Enfim, Wagner vai para o camarote oficial com algumas dúvidas na cabeça, mas pode romper o carnaval com todas elas dissipadas.

Como parte do jogo político, o governador vai receber a visita da ministra Dilma Rousseff, pré-candidata do PT ao Palácio do Planalto. Dilma concederá uma entrevista coletiva no domingo, às 11h, no Hotel Tropical da Bahia, no Campo Grande, ao lado de Wagner. Ela desembarca na Base Aérea no sábado (13) e deixa a cidade na noite do domingo. A ministra vai aproveitar para articular a sua candidatura no território baiano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Você é livre para oferecer a sua opinião.